POTÊNCIA HMNEWS. ÚNICO COM CREDIBILIDADE E INOVAÇÃO EM PAPEL, INTERNET E EVENTOS.

ELÉTRICA | ILUMINAÇÃO | AUTOMAÇÃO |
SUSTENTABILIDADE | SISTEMAS PREDIAIS
 

 

+ de

106 mil

 

LEITORES, INTERNAUTAS, PROFISSIONAIS E FÃS DA REVISTA POTÊNCIA :)

 
ANUNCIE

Cobrecom Fios e Cabos Elétricos adverte para os cuidados com a instalação elétrica durante o inverno

Com a chegada da estação mais fria do ano o consumo de energia elétrica fica mais elevado e aumenta a procura por eletrodomésticos como aquecedores e chuveiros elétricos mais potentes que podem causar sobrecargas e curtos-circuitos se não escolhidos corretamente.

Durante o inverno o consumidor deve ficar atento com a utilização dos aparelhos elétricos que podem impactar no aumento da conta de energia elétrica como os chuveiros elétricos, as secadoras de roupas e os aquecedores elétricos.Além disso, nessa época do ano aumenta a procura por novos chuveiros elétricos e também pelos modelos portáteis de aquecedores elétricos que devem ser escolhidos de maneira correta.

Caso contrário, a segurança do imóvel e de seus moradores será afetada com o aparecimento de problemas na rede elétrica como, por exemplo, as sobrecargas e os curtos-circuitos.E para facilitar a vida dos consumidores, a Cobrecom Fios e Cabos Elétricos, uma das mais importantes empresas do segmento de elétrica, dá dicas importantes de como economizar energia no inverno e orienta para a boa compra do aquecedor portátil e do chuveiro elétrico.

Chuveiro elétrico

O aumento no consumo de energia elétrica com o chuveiro na função ‘inverno’ pode chegar a 30%. “A conta pode ficar ainda mais elevada no caso de banhos muito demorados”, ressalta Paulo Alessandro Delgado, gerente de marketing da Cobrecom Fios e Cabos Elétricos. O que avaliar antes de trocar o chuveiro elétrico por um modelo novo?

Delgado aconselha que seja feita uma avaliação do circuito elétrico no qual está instalado o modelo atual. Procure um eletricista ou outro profissional qualificado para fazer essa verificação.  “No primeiro momento devem ser verificados a seção nominal dos fios e cabos elétricos instalados e quais as correntes nominais (em ampères) dos disjuntores e/ou fusíveis que protegem o circuito e estão instalados no quadro de distribuição, também conhecido como quadro de luz”, ressalta Delgado.

Rosevaldo Toaliari, supervisor de desenvolvimento de produtos e processos da Cobrecom Fios e Cabos Elétricos, revela que é possível trocar o chuveiro elétrico por outro modelo mais potente desde que o disjuntor e os cabos elétricos instalados sejam adequados ao novo aparelho.

Caso contrário, o disjuntor desarmará constantemente o circuito devido à corrente elétrica ser maior que a capacidade do dispositivo de proteção. Além disso, poderá ocorrer um sobreaquecimento na instalação, podendo resultar em curto-circuito.

“Principalmente nos casos em que a instalação elétrica é mais antiga e o consumidor quer comprar um chuveiro elétrico mais moderno e com potência maior que o modelo atual, será preciso realizar a troca dos cabos elétricos e do disjuntor, sendo que esse serviço também deve ser feito por profissionais habilitados, como o engenheiro eletricista para dimensionar o projeto elétrico e o eletricista para fazer a instalação”, alerta Toaliari. Antes de comprar o novo chuveiro elétrico também é fundamental checar a tensão elétrica (“voltagem”) do aparelho e do circuito elétrico. “Caso o consumidor adquira um chuveiro elétrico com a tensão diferente de sua instalação, o aparelho não terá um funcionamento adequado ou até mesmo irá queimar”, afirma Delgado.

O profissional lembra que um modelo de 127 V quando instalado em 220 V terá sua resistência elétrica queimada e quando ocorre o contrário, o chuveiro vai operar com uma potência elétrica menor e a água não aquecerá o suficiente para um bom banho. Ao retirar o modelo antigo e instalar o novo é importante que seja desligado o disjuntor do circuito elétrico do chuveiro para evitar choques e possíveis acidentes.

Aquecedor Elétrico

A dica para economizar energia com o aquecedor elétrico seja ele um modelo portátil, central ou de janela é deixar o aparelho ligado somente nos momentos em que estiver no ambiente. Lembre-se de regular o aquecedor para que o cômodo não fique demasiadamente quente e aumente os gastos com a energia elétrica.

O que analisar antes de comprar um aquecedor portátil?

Antes de adquirir esse eletrodoméstico é preciso avaliar o tamanho e o tipo do ambiente e a quantidade de janelas são imprescindíveis para a definição da potência do aquecedor. O tipo do revestimento usado no piso também pode influenciar a escolha, já que as pedras como a ardósia e materiais como a cerâmica e o porcelanato são frios e fazem com que seja necessário um aparelho de maior capacidade elétrica.

Os fabricantes indicam nas caixas ou nos rótulos a relação entre a potência do aparelho e o tamanho da área em que ele funcionará. Antes da compra, verifique também qual é a tensão elétrica disponível nos ambientes onde se pretende ligar o aquecedor.  “Cheque também se a fiação das tomadas e os disjuntores estão de acordo com a corrente elétrica do aquecedor”, orienta Toaliari.

Hilton Moreno, professor, engenheiro eletricista e consultor da Cobrecom Fios e Cabos Elétricos, explica que se a potência do aquecedor for superior ao que o circuito elétrico em que ele será conectado pode suportar, podem ocorrer dois problemas:

01: Se a instalação elétrica estiver de acordo com a norma ABNT NBR 5410, o disjuntor desarmará o circuito elétrico e haverá o desconforto de não conseguir usar o aparelho.

02: Se a rede elétrica do local for inadequada, pode acontecer de o disjuntor não desarmar o circuito elétrico e o equipamento funcionará. Com isso, haverá uma sobrecarga nos condutores que pode resultar em degradação dos cabos, provocando princípios de incêndios e até choques elétricos.

Secadora de roupas

A dica para economizar energia com a utilização desse aparelho é sempre utilizá-lo em sua capacidade máxima. NUNCA coloque roupas para secar atrás da geladeira. Além de danificar o eletrodoméstico que terá sua capacidade de resfriamento diminuída e vida útil comprometida, haverá consequente aumento na conta de energia elétrica.