POTÊNCIA HMNEWS. ÚNICO COM CREDIBILIDADE E INOVAÇÃO EM PAPEL, INTERNET E EVENTOS.

ELÉTRICA | ILUMINAÇÃO | AUTOMAÇÃO |
SUSTENTABILIDADE | SISTEMAS PREDIAIS
 

 

+ de

106 mil

 

LEITORES, INTERNAUTAS, PROFISSIONAIS E FÃS DA REVISTA POTÊNCIA :)

 
ANUNCIE

Retrofit de Iluminação HID possibilita eficiência energética

O conceito de retrofit é bastante utilizado em iluminação. Seu princípio consiste na modernização do sistema de iluminação existente, substituindo luminárias, lâmpadas e reatores, por outros equipamentos com tecnologias mais avançadas e eficientes.

É comumente recomendado quando a instalação está ultrapassada, apresentando um desempenho luminotécnico inadequado, um alto consumo de energia ou então fora das normas técnicas.

“O processo de retrofit é mais econômico do que a troca de todo o sistema de iluminação e proporciona ganhos significativos em economia de energia. Muitas vezes esses ganhos são suficientes para pagar o investimento inicial”, explica a engenheira Ana Albieri, Gerente Geral da Lumino Energy Solutions no Brasil.

De acordo com a engenheira, dependendo de como estiverem as instalações na rede elétrica, poderá ser necessário algum tipo de intervenção, para que se obtenha o máximo de eficiência.

Ela afirma que o ideal é que além de um estudo luminotécnico para identificar qual a melhor alternativa para cada caso, seja feito um estudo da rede elétrica.

Ana Albieri, observa que o retrofit de lâmpadas e reatores por equipamentos, mais modernos, que permitem a incorporação de controles como dimerização e telegestão, possibilita aos clientes economizar energia, racionalizar a utilização de recursos e diminuir as despesas com manutenção.

PROJETO

Na elaboração do projeto, uma série de itens deve ser avaliada. É primordial conhecer o ambiente, suas necessidades e as características dos equipamentos previamente instalados. É necessário saber quantos postes existem no local, quantas luminárias existem em cada poste, quantas lâmpadas cada luminária possui, quantas horas por dia as luzes permanecem acesas, quais atividades são realizadas no local, custo de manutenção do sistema atual e custo da energia elétrica. De posse dessas informações é possível realizar uma análise de rendimentos, calcular os custos de operação, manutenção e reposição.

Nos projetos sempre são considerados os níveis de iluminância existentes e os necessários, além das normas técnicas aplicáveis para o ambiente em questão.

OUTRAS TECNOLOGIAS

A indústria de iluminação está sempre atenta a demanda pela modernização dos sistemas e, com isso, lança inovações com uma frequência cada vez menor. Produtos que sejam mais eficientes têm tido destaque, pois impactam positiva e diretamente as métricas financeiras e de sustentabilidade dos clientes.

Dentre as novas tecnologias, hoje destacam-se o reator eletrônico para lâmpadas HID, os leds e as lâmpadas de indução. Cada uma dessas tecnologias tem características distintas, e tanto projetistas quanto clientes precisam conhece-las para poder tomar a melhor decisão em cada projeto.

PAYBACK

Levando em conta todos os aspectos envolvidos no projeto, como custos, vida útil, nível de iluminância resultante, qualidade de iluminação resultante, adequação ao uso do ambiente, é feita a melhor recomendação de retrofit. “A definição da tecnologia a ser utilizada depende de todo o conjunto de necessidades do Cliente. Por isso acreditamos que não existe a bala de prata, ou a tecnologia que resolve todas as necessidades de iluminação de nossos clientes.  Acreditamos sim na aplicação das várias tecnologias disponíveis, inclusive num mesmo projeto ou cliente”, afirma Ana Albieri.

Com esta recomendação, é possível realizar um estudo de viabilidade financeira da adequação do sistema (payback). É feito um relatório comparativo de consumo, custos de operação, manutenção e durabilidade entre os sistemas, justificando o retrofit através dos benefícios agregados a ele.

Segundo Ana Albieri, “O gHID otimiza a estrutura existente de iluminação HID e oferece duração prolongada da lâmpada e do reator. O retorno financeiro (payback) aplicando o gHID é mais rápido do que o obtido com produtos que utilizam outras tecnologias. Somado à eficiência energética, o gHID também proporciona benefícios contínuos como, por exemplo, redução de custos de manutenção. ”

Contribuiu para este artigo, a engenheira Ana Albieri, Gerente Geral da Lumino Energy Solutions no Brasil.

Ana Albieri possui mais de 20 anos de experiência na indústria farmacêutica e entrou para a Lumino Energy Solutions como Gerente Geral do Brasil em 2016. Exerceu funções nas áreas de produção, marketing, análise de negócios, desenvolvimento de negócios, melhoria contínua e planejamento estratégico. Ana possui um amplo e profundo conhecimento da indústria e suas operações como um todo. Ana iniciou sua carreia na Hoechst Marion Roussel, e ocupou várias posições em companhias como Ortho McNeil Pharmaceuticals nos Estados Unidos, Janssen-Cilag, Pfizer e Hypermarcas no Brasil. Ela é bacharel em Engenharia Mecânica Plena pela FEI, pós-graduada em Marketing pela ESPM, possui MBA em Estratégia pela USC Marshall School of Business e Executive Scholar pela Northwestern University – Kellogg School of Management.