POTÊNCIA HMNEWS. ÚNICO COM CREDIBILIDADE E INOVAÇÃO EM PAPEL, INTERNET E EVENTOS.

ELÉTRICA | ILUMINAÇÃO | AUTOMAÇÃO |
SUSTENTABILIDADE | SISTEMAS PREDIAIS
 

 

+ de

106 mil

 

LEITORES, INTERNAUTAS, PROFISSIONAIS E FÃS DA REVISTA POTÊNCIA :)

 
ANUNCIE

Manutenção preventiva em para-raios evita danos durante tempestades

Como forma de evitar ou minimizar os impactos dos efeitos das descargas atmosféricas, os Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDAs), popularmente chamados de para-raios, direcionam a energia provocada por raios no momento que atinge o edifício até o aterramento de forma segura. Regulamentados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) com base na norma NBR 5419/2005, os para-raios são uma exigência do Corpo de Bombeiros em edificações industriais ou comerciais com mais de 1.500 metros quadrados de área construída, em edificação com mais de 30 metros de altura, em áreas destinadas a depósitos de explosivos e inflamáveis e outras construções na qual a periculosidade se justifica.

Fenômeno mais frequente durante as estações do verão e primavera, principalmente em momentos de chuvas intensas, os raios possuem duração inferior a meio segundo, tempo suficiente para provocar danos em equipamentos eletroeletrônicos e também às pessoas.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) revelaram que, nos últimos seis anos, o Brasil registrou uma média de 77,8 milhões de raios por ano, deixando o país no topo da lista com maior concentração de raios do mundo. Entre todos os estados da federação, Tocantins lidera o ranking com maior incidência de descargas elétricas, sendo 17,1 raios por quilômetro quadrado.

De acordo com Renato Carneiro, arquiteto da rede Master House Manutenções e Reformas, é fundamental realizar a manutenção periódica ou vistoria preventiva em para-raios após reformas, manutenções ou quando a edificação for atingida diretamente por uma descarga elétrica. “Um prédio residencial ou comercial pode sofrer sérios danos se atingido por um raio e não estiver protegido. Além de danificar equipamentos elétricos, pode causar incêndio. Por isso, o SPDA precisa ser colocado em lugar alto, já que os raios atingem os pontos mais altos durante uma tempestade”, aponta o especialista. 

A recomendação em caso de tempestade com raios é não ficar próximo de nenhum objeto ligado à rede elétrica ou à rede telefônica, não falar ao telefone com fio, não tomar banho no chuveiro elétrico e não ficar encostado em geladeira. Durante as tempestades, campos de futebol e praias também devem ser evitados. Ainda segundo o INPE, cerca de 8% das mortes por raio ocorreram em campos de futebol, enquanto que 5% em praias. “Recomendamos procurar um profissional qualificado para fazer manutenção preventiva do SPDA para garantir a segurança dos moradores do imóvel e também para que não haja danos nos equipamentos elétricos”, finaliza Carneiro.