POTÊNCIA HMNEWS. ÚNICO COM CREDIBILIDADE E INOVAÇÃO EM PAPEL, INTERNET E EVENTOS.

ELÉTRICA | ILUMINAÇÃO | AUTOMAÇÃO |
SUSTENTABILIDADE | SISTEMAS PREDIAIS
           
ANUNCIE

Atenção ao LED

Desde o dia 17 de janeiro está proibida a comercialização de lâmpadas LED, do tipo com regulador integrado à base, sem certificação do Inmetro, por atacadistas e varejistas de todos os portes, ou seja, agora a regra vale para todas as empresas.

A certificação é a ferramenta que assegura, não só ao consumidor, como aos distribuidores e varejistas, que uma organização independente, por meio da análise do processo de fabricação e ensaios em laboratórios, verificou se o produto está em conformidade com padrões específicos de segurança, desempenho e qualidade estipulados por um órgão certificador renomado.

A motivação para a certificação de lâmpadas LED não foi diferente das outras lâmpadas: expurgar do comércio importadores e fabricantes que encontraram no mercado desregulamentado uma oportunidade de comercializar produtos baratos e com baixa qualidade, não só em termos de desempenho, como também de segurança.

Segundo o engenheiro elétrico Rubens Rosado, assessor Técnico da Abilumi (Associação Brasileira dos Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação), com o mercado desregulamentado, consumidores que se preocupam apenas com o preço no momento de aquisição de suas lâmpadas perdem triplamente.

“Primeiro, por colocarem em risco sua vida e suas instalações, com produtos que não têm, por exemplo, isolamento adequado e proteção contra curto-circuito. Segundo, por estarem sendo enganados em relação às informações de embalagem, como fluxo luminoso e potência inferiores ao que o produto proporciona. Terceiro, por que fica difícil para os importadores e fabricantes comprometidos com a qualidade trazerem para o mercado interno produtos com novas tecnologias, mais eficientes e mais seguros, e que estão surgindo no mercado internacional a cada dia”, explica o especialista.

Vale ressaltar que desde o dia 17 de julho de 2017 ações de fiscalização estão programadas e lojistas e distribuidores poderão ser autuados, sendo passíveis de multa e apreensão das mercadorias sem certificação. Dessa forma, é necessário que consumidores, lojistas e distribuidores se conscientizem sobre as novas regras, adquirindo somente produtos certificados.